sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

EXCELENTE 2012

PARA TODOS
ACREDITEM SEMPRE  com o ♥

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

O DOM

Dizem que todos temos um DOM. Eu acredito que sim, mas há uns que têm mais impacto nas nossas vidas que outros. A mim, fascinam-me as pessoas que têm o Dom de colocar tão bem em palavras aquilo que tantas vezes me vai na alma ...

Gosto muito deste blog "Deixa entrar o sol", tem luz,  a autora escreve maravilhosa bem... e este texto, entre tantos outros, não é excepção. É também a minha visão da parentalidade.

Este é apenas um excerto do texto, que destaco por ser onde mais me identifico:




terça-feira, 27 de dezembro de 2011

No nosso Natal...

No nosso Natal o Faísca McQueen foi rei, para além dos brinquedos, ficou vestido literalmente da cabeça aos pés... o computador Panda & Mickey serviu na perfeição, deixou-o muito Feliz, assim como tantos outros presentes que recebeu, mas não podemos dizer que o Natal foi uma festa pois não esteve nos seus melhores dias.... O Ventilan e a cortisona alteraram-no completamente... e a disposição do filhote não foi a melhor... Felizmente hoje está melhor, da doença e da disposição até por que já não está a tomar  a cortisona e o Ventilan já pode ser feito em intervalos maiores... nota-se tão bem no seu comportamento, está mais bem disposto e mais calminho... A ver se se põe definitivamente bom, para entrar em 2012 em grande e bem dispostinho, como merece!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

...e é quase Noite de Natal ♥


Não podia deixar de passar por este meu lugar especial e aparentemente (só) abandonado. Esta semana não foi nada fácil. Começámos mal na 2.ª Feira quando o meu pipoca-mais-lindo resolveu vomitar no meio da sala do lanchinho de Natal da Escola. Foi chão, foi pipoca, foi mamã e foi papá. Mal tive tempo de provar o bolinho escolhido por ele e feito por mim com tanto amor. Não, estava doente (ainda) fez birra e puxou o vómito, claro que viemos recambiados para casa, sujos e mal cheirosos.

Na 3.ª Feira, Pipoca estava em êxtase (e a mamã também), fomos de comboio ao circo. Levei o meu filho a andar pela primeira vez de comboio e fomos ao Circo Chen. Não correu tão bem como queria. ADOROU andar de comboio e portou-se bem... mas durante o Circo começou a queixar-se, achei-o quente, viemos embora ao intervalo, no caminho de volta, só se queixava com dores de cabeça e olhos e "fervia". Quando chegámos a casa estava CHEIO de febre, muito perto dos 40º, accionei o médico de um seguro que o observou e chegou à conclusão que ele não tinha "nada de especial" (pois).

Antes de ontem achei-o com uns barulhos estranhos  no peito enquanto dormia e resolvi pedir à avó para o levar à nossa "amiga" que lhe faz a ginástica respiratória. A terapeuta que tem "anos" de experiência daquilo ligou-me logo a dizer que ele estava muito mal, que tinha os pulmões "encharcados" e que estava até em risco de fazer uma pneumonia (fiquei aterrorizada). 

Sai a voar do trabalho e a voar fomos para as urgências pediatricas da Cuf, resultado, a primeira infecção respiratória do Pipoca, que infelizmente por sinal parece Grave. Está a antibiótico, ventilan e até cortisona está a tomar... Enfim, a fisioterapeuta diz que para estar naquele estado já tinha de ter alguma coisa quando o primeiro médico o auscultou.... Valha-nos a nossa maravilhosa intuição de mães que não nos deixa sossegar, por que embora o médico tivesse dito que ele estava bem... eu não achava que algo não estava bem...

Felizmente está melhor, mas as próximas horas são determinantes, espero que o meu "piqueno" possa gozar o seu primeiro Natal (consciente do que é o Natal) como merece, pois tem muitas prendinhas para abrir.

Não podia deixar de vir aqui, primeiro, agradecer a quem nos desejou as Boas Festas e depois desejar a TODOS, do fundo do coração, um Natal cheio de Magia, daquela que faz todas as histórias com finais Felizes! Que a história do Vosso Natal tenha um final Feliz!


FELIZ NATAL

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

"A" prenda...

Não sei o que se terá passado com o Computador do Panda mas corri tudo e nada. Desapareceu. Enviei inclusivamente um e-mail para o Canal e infelizmente até à data não tive qualquer tipo de resposta. Não é que seja lá grande fã destes fanatismos por "marcas" ou pelo "consumismo" associado ao Canal Panda mas era a prenda que o meu filho queria, a primeira que pediu e com a qual tive muitos momentos felizes graças ao: " Se não te portares bem, o Pai Natal não trás o Computador do Panda".

Bem... mas... como "quem não caça com gato, caça com rato"... Resolvi o Problema. Comprei-lhe o computador do Mickey, personagem também muito apreciada lá por casa (que eu até prefiro ao Panda), vou imprimir algumas imagens do Panda e colar com papel autocolante transparente. Assim fica com uma espécie de "dois em um" e penso que para ele será uma Felicidade verificar que os seus dois Grandes amiguinhos se juntaram para o surpreender no Natal.
 & 

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

E foi assim que o Natal entrou lá em casa...



P.S. o meu browser habitual é o Google Chrome, com o qual não consigo mesmo fazer uploads de imagens... nem comentar alguns blogs. Hoje resolvi experimentar no Internet Explorer e Voilá!

Aqui fica a Abertura Oficial da época Natalícia em nossa casa
no passado dia 1 de Dezembro.
A árvore foi feita duas vezes (quase que se ía o Espírito Natalicío), sim, porque a primeira foi parar ao chão, graças à curiosidade do Sr. Pipoca que teima em contar as "bolinhas" da árvore de Natal e puxá-las ao mesmo tempo...

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Parece que a pancada chegou a estes lados...

Há vários dias que não consigo comentar blogues. Não consigo adicionar imagens... e se conseguir publicar esta mensagem começo a acreditar que é uma SORTE.
Ai... blogger, blogger.. não te cuides não...

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Neve na árvore de Natal ♥

- Fofinho! esta quinta-feira vamos fazer a árvore de Natal!
- Sim, mamã! quero com neve! 
(mas quando é que ele aprendeu que a neve está associada ao Natal?)

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Estamos em crise lá em casa

E a crise não é só económica. É CRISE para tomar Banho. Não quer. Vamos no caminho para casa e já vai dizer que "hoje" não toma banho. Pensava que isto só lhes dava lá para a adolescência. É com cada birra.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

El saber no ocupa lugar

E depois de uma reciclagem no "english" para avivar a memória.
Heis que estou a aprender español


"me gusta"


segunda-feira, 21 de novembro de 2011

o que eu gosto no Inverno...

a repentina vontade que me dá para cozinhar, experimentar receitas e fazer bolos. Sentir o cheiro e o calor confortável da cozinha. É coisa que normalmente no verão, me passa. 

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Crescer é para sempre...

Tinha de partilhar

As coisas que ele inventa


Hoje de manhã saiu-se com esta:

... "mamã tens uns sapatos "tró-ló-ró" e eu uns "chic-chic"... 

...é isto e as adaptações personalizadas das letras das músicas... passa a vida a cantar e quando não sabe a letra, inventa! (ADORO)

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

ADORO

... quando o meu filho me penteia (mesmo que só me despenteie).

Ontem à noite enquanto o fazia, disse:
- Mamã vais ficar bonita para  mostrares aos amigos.

Claro que sim, mesmo que não seja pelo penteado tenha a certeza que fico mais bonita porque estas palavras embelezam o meu coração.


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Lista de pedidos ao Pai Natal

Pois que do alto dos seus 2 anos e meio o rapaz diz que quer:
1 - O computador do Panda
2 - A Quinta do Ruca
3 - ... e não sei bem o quê do Bob o Construtor...

Vá lá, podia ser mais exigente... a Quinta do Ruca já comprou a avó, o computador do Panda compra a mamã e do Bob o Construtor tratará alguém de certeza... e ainda há espaço para receber mais presentes, é a vantagem de ter uma família para o grande e de este ano os presentes serem dedicados aos "pequeninos".

Quem é o melhor do Mundo?


"...é eu..." (diz o meu filhote orgulhoso)

 (e a seguir espeta com os dois pés dentro de uma poça de água... para ele era verão... para mim foi uma correria para chegar a casa e trocá-lo todo...)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

e este rapaz

... que sempre teve uns sonos deveras agitados, agora dá-lhe para acordar (também) entre as 4h e as 5h da matina para fazer xixi no bacio, e só no bacio. É... bexiguinha madrugadora. Claro que fico contente por não querer fazer na fralda... mas bem que podia esperar pelas 6:40h, hora que esta mãe se levanta (arrasta) todos os dias da cama.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

E heis...

que o pipoca estreia-se na "piolhagem". Nem queria acreditar... tão pequenino... parece que este ano tem andado aí uma praga jeitosa...

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

e é assim que passam 3 anos...

Faz hoje 3 anos que me tornei naquela que hoje é comummente denominada por família monoparental. Faz hoje 3 anos e podia estar para aqui a queixar-me da vida... que na realidade passou-me uma valente rasteira (ou não). Mas não tenho vontade de o fazer, tenho sim, vontade de celebrar cada dia que passa como único e como mais uma oportunidade que tenho de viver e ser feliz. A VIDA dá-nos tantas mas tantas oportunidades que nem sempre estão nos caminhos que pensávamos ser o escolhido...

Fiquei sozinha (com uma família fantástica sempre lá) com um filho de 6 meses. É verdade, não foi fácil, não é fácil. Mas chegada aos dias de hoje, já não sei que vida prefiro. Aprendi tanto, descobri tanto em mim e nos outros. Confesso. O meu casamento que outrora via perfeito, à luz de alguma racionalidade e distância, deixou de o ser. Não discutíamos, é um facto, tínhamos uma vida estável com gostos comuns, mas na verdade faltava o "resto", o mais importante, o AMOR. De alguma forma, como tantas vezes acontece, no caminho das nossas vidas algo se perdeu, o nosso amor morreu e nem eu nem o meu ex-marido conseguiríamos viver uma vida fingida. Se outrora me revoltei, hoje agradeço-lhe a sinceridade pois tenho a certeza que dadas as circunstâncias seria (seriamos) uma pessoa (pessoas) muito infeliz se tivéssemos continuado juntos. 

Hoje somos pais de um filho que AMAMOS acima de tudo. Eu de um lado, é certo. Ele do outro, mas o AMOR que temos pelo nosso filho, mesmo separado, é o nosso investimento comum e isso faz dele uma criança EXTREMAMENTE FELIZ. 

Na realidade sinto que tive uma vida que morreu, mas que me deram ou dei a mim própria, a oportunidade de renascer para outra, que é Melhor. Onde a cada dia que passa gosto mais de mim, em que gosto mais dos Outros. Agora, mais que nunca, tenho consciência de que a vida deve ser vivida no presente, porque na realidade o futuro é mesmo muito imprevisível e aquilo que hoje é amanhã pode já não ser... e que a verdadeira beleza está mesmo nas coisas mais simples da vida, nas gargalhas do meu filho, na correria e alegria com que me abraça e diz "mããeeeee", nas gargalhadas que dou com as minhas amigas e amigos, na confusão das conversas nas refeições de família, nos comentários de apoio que muitas das que me vão seguindo deixam aqui, na atenção que dou às pessoas tantas vezes solitárias no meio de uma multidão, nos sítios novos que vou conhecendo, e em tantas outras experiências que esta minha "nova" vida me tem proporcionado. 

Por isso, passados 3 anos, sou sincera, não posso, nem me quero queixar de tudo o que esta NOVA VIDA me ofereceu e tem oferecido em troca da OUTRA. Luto todos os dias para ser Feliz e com a minha Felicidade fazer, primeiro, o meu filho, depois os outros, Felizes. Acho que na maioria dos dias até consigo. 


quinta-feira, 27 de outubro de 2011

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A quem possa interessar


Eu já tenho o meu turno.

(Cliquem em cima da imagem para ter acesso ao site)

terça-feira, 25 de outubro de 2011

O que estás a fazer filhote?

... a contar histórias aos meus amigos....
(quatro amigos que só por acaso fazem parte da decoração da sala e que ele transporta para o quarto)




O estiloso...


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

E quando...

...o vou buscar ao final do dia à escolinha demoro sempre cerca de, no mínimo, meia-hora a arrancá-lo de lá....  por cauda disto:


quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Ser mãe é


Rever 500 mil vezes mentalmente se não se está a esquecer de nada antes de sair de casa. Sair à pressa, deixar o filho na escola, sentar-se na secretária olhar para os pés e ver que estão neste estado e que é dia de reunião importante com pessoas igualmente importantes. Valha-nos o "Santo" Risqué e as lojas dos chineses abrirem cedinho.


E quem?

Quem é que se levantou às 5h da matina e não quis dormir mais, quem? Uma hora e meia a menos de sono faz muita falta... faz sim senhor... e a energia que o rapaz tinha?!... Bem disposto que só ele (ao contrário da mãe que está aqui que nem pode pois andamos novamente em fase de sonos conturbados)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Aproveitar enquanto o frio não chega


No sábado fomos ao parque...

malandreco

Os primeiros "recuerdos" da escolinha


O primeiro desenho para a mamã, já tenho uma colecção, mas este foi o primeiro.


O primeiro "instrumento musical"  feito no dia Internacional da Música 


Fora os que vão sendo colados nas paredes da escola e respectiva sala.
Quanto à adaptação! Agora até quer ir para a escola aos Sábados, Domingos... enfim... " não há fome que não dê em fartura"... é bom sinal e antes assim!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Conhecem?

Pumpkin

Tem sugestões engraçadas.
Não conheço os donos, não ganho nada com isto, só achei um projecto com muitas ideias e actividades engraçadas para a família e para os miúdos e por essa razão, partilho.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Sobre o desfralde

Operação (quase) completa. Faltam as noites.

Resultados práticos (muito práticos): 
- Considerável diminuição de consumo de fraldas. O que em tempo de crise, é "FANTÁSTICO"!
- Considerável diminuição de odores bastante desagradáveis  no saco do lixo, daqueles que obrigavam a ir a correr despejá-lo!

Pode parecer pateta, mas adoro dobrar as primeiras cuecas do meu filho e gosto ainda mais quando quer ser ele a puxá-las para baixo e para cima, demonstrando orgulhosamente que já o sabe fazer sozinho. 

Está Tããoãooooooooo rapazinho! Love it.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Um estudo que me alivia um bocadinho (só) a consciência...


Depois de uma semana em que MAL vi o meu filho por questões laborais, depois me sentir  triste e com algum peso na consciência, heis que surge este estudo na revista PAIS & FILHOS   e vá lá, se assim for... sou capaz de ficar, um bocadinho (só) mais descansada...
"As mães que trabalham fora de casa não causam nenhum dano social nem emocional significativo aos seus filhos, de acordo com um estudo britânico.Os resultados resultam de informação retirada do Millennium Cohort Study UK, que também verificou que as crianças parecem mais equilibradas quando tanto a mãe como o pai têm trabalho remunerado e vivem em casa com os seus filhos, citou o site Alert Life Sciences Computing.

«Alguns estudos têm sugerido que o facto de as mães trabalhem (ou não) no primeiro ano de vida da criança possa ser particularmente importante para os resultados subsequentes», segundo a líder da investigação, Anne McMunn, num comunicado de imprensa do Conselho de Investigação Económica e Social, que financiou a pesquisa.

«Neste estudo não verificámos qualquer prova de influência nociva a longo prazo sobre o comportamento da criança pelo facto de a mãe trabalhar no primeiro ano do bebé.»

Os resultados sugerem que as mães trabalhadoras são diferentes em vários níveis das mães que não trabalham. Por exemplo, observou McMunn que as mães com emprego remunerado são mais propensas a ter uma melhor educação, a ter mais dinheiro e estar menos deprimidas.

Dito isto, as formas em que os antecedentes laborais da mãe poderiam afectar o desenvolvimento dos seus filhos parecem ter muito a ver com o sexo da criança. Segundo o estudo, parece que as meninas são mais afectadas por padrões de trabalho materno que os meninos.

De facto, refere o estudo, as meninas pareciam ter mais problemas do que os meninos (em termos de início de dificuldades comportamentais aos cinco anos) em famílias onde o pai era o único que ganhava e as mães não trabalhavam, em comparação com famílias em que ambos os pais trabalhavam, disseram os investigadores.

Pelo contrário, uma dinâmica inversa, na qual a mãe era quem ganhava o sustento da casa (em vez de uma casa com duas fontes de rendimento), os meninos pareciam ter mais dificuldades comportamentais do que meninas.

No entanto, o estudo reforça as provas anteriores de que os problemas comportamentais aos cinco anos surgem com mais frequência (embora nem sempre) em lares onde ambos os pais são confrontados com o desemprego, como os constituídos por mães solteiras."

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

20 pedidos que farei tudo para não esquecer...

Hoje a Solange Burri partilhou isto na página de facebook dela... Algo com o qual concordo em absoluto e farei tudo para não esquecer...


Mãe e Pai ...

1 - Nunca esqueçam: eu sou a criança de vocês os dois. Agora, só tenho um pai ou uma mãe com quem eu moro e que me dedica mais tempo. Mas preciso também do outro.
2 - Não me perguntem se eu gosto mais um ou do outro. Eu gosto de “igual” modo dos dois. Então não critique o outro na minha frente. Porque isso dói.
3 - Ajudem-me a manter o contacto com aquele de entre vocês com quem não fico sempre. Marque o seu número de telefone para mim, ou escreva-me o seu endereço num envelope. Ajudem-me, no Natal ou no seu aniversário, para poder preparar um presente para o outro. Das minhas fotos, façam sempre uma cópia para o outro.
4 - Conversem como adultos. Mas conversem. E não me usem como mensageiro entre vocês - ainda menos para recados que deixarão o outro triste ou furioso.
5 - Não fiquem tristes quando eu for ter com o outro. Aquele que eu deixo não precisa pensar que não vou mais amá-lo daqui há alguns dias. Eu preferia sempre ficar com vocês dois. Mas não posso dividir-me em dois pedaços - só porque a nossa família se rasgou.
6 - Nunca me privem do tempo que me pertence com o outro. Uma parte de meu tempo é para mim e para a minha Mãe; uma parte de meu tempo é para mim e para o meu Pai. Sejam consequentes aqui.
7 - Não fiquem surpreendidos nem chateados quando eu estiver com o outro e não der noticias. Agora tenho duas casas. E preciso distingui-las bem - senão não sei mais onde fico.
8 - Não me passem ao outro, na porta da casa, como um pacote. Convidem o outro por um breve instante dentro e conversem como vocês podem ajudar a facilitar a minha vida. Quando me vierem buscar ou levar de volta, deixem-me um breve instante com vocês dois. Não destruam isso, em que vocês se chateiam ou brigam um com o outro.
9 - Vão buscar-me na casa dos avós, na escola ou na casa de amigos se vocês não puderem suportar o olhar do outro.
10 - Não briguem na minha frente. Sejam ao menos tanto tão educados quanto vocês seriam com outras pessoas, como vocês também o exigem de mim.
11 - Não me contem coisas que ainda não posso entender. Conversem sobre isso com outros adultos, mas não comigo.
12 - Deixem-me levar os meus amigos na casa de cada um. Eu desejo que eles possam conhecer a minha Mãe e o meu Pai e achá-los simpáticos.
13 - Concordem sobre o dinheiro. Não desejo que um tenha muito e o outro muito pouco. Tem de ser bom para os dois, assim poderei ficar à vontade com os dois.
14 - Não tentem "comprar-me". De qualquer forma, não consigo comer todo o chocolate que eu gostaria.
15 - Falem-me francamente quando não dá para "fechar o orçamento". Para mim, o tempo é bem mais importante que o dinheiro. Divirto-me bem mais com um brinquedo simples e engraçado que com um novo brinquedo.
16 - Não sejam sempre "activos" comigo. Não tem de ser sempre alguma coisa de louco ou de novo quando vocês fazem alguma coisa comigo. Para mim, o melhor é quando somos simplesmente felizes para brincar e que tenhamos um pouco de calma.
17 - Deixem o máximo de coisas idênticas na minha vida, como estava antes da separação. Comecem com o meu quarto, depois com as pequenas coisas que eu fiz sozinho com meu Pai ou com minha Mãe.
18 - Sejam amáveis com os meus outros avós - mesmo que, na sua separação, eles ficarem mais do lado do seu próprio filho. Vocês também ficariam do meu lado se eu estivesse com problemas! Não quero perder ainda os meus avós.
19 - Sejam gentis com o novo parceiro que vocês encontram ou já encontraram. Preciso também me entender com essas outras pessoas. Prefiro quando vocês não se vêem com ciúme. Seria de qualquer forma melhor para mim quando vocês dois encontrassem rapidamente alguém que vocês poderiam amar. Vocês não ficariam tão chateados um com o outro.
20 - Sejam optimistas. Vocês não conseguiram gerir o seu casal - mas nos deixem ao mínimo o tempo para que, depois, isso se passe bem. Releiam todos os meus pedidos. Talvez vocês conversem sobre eles. Mas não briguem. Não usem os meus pedidos para censurar o outro, tanto mal que ele podia ter sido comigo. Se vocês o fizerem, vocês não terão entendido como eu me sinto e o que preciso para ser feliz.
(Fonte - Tribunal de Família e Menores de Cochem-Zell / Alemanha)

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Ontem

... foi a minha primeira reunião de pais. A primeira na minha vida como encarregada de educação. Para inicio de relações gostei. Gostei do método de ensino que se propõe a aplicar e gostei da educadora. Muitos projectos com as crianças e com os pais, um dia de movimento físico por semana.... (fora o facto de serem instalações novas a estrear num espaço amplo e no meio do campo)
 Assim para a primeira impressão, fiquei satisfeita, espero que continuemos assim.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

E pronto!

A integração na escolinha está feita. Mesmo que um dia ou outro vá mais mariquinhas, já não chora e não diz que não quer ir. Quando o vou buscar encontro-o sempre FELIZ e a brincar com os coleguinhas. Assim que me vê, vem de bracinhos abertos a correr para mim, abraça-me e diz logo que vai buscar a mochila (adora levar a mochilinha dele).

Tenho notado uma evolução muito positiva em coisas essenciais como o comer sozinho, farta-se de cantar musicas novas, pede para fazer desenhos e no desfralde (bem hajam as educadoras e funcionárias), basicamente já só lhe ponho a fralda para evitar descuidos em sítios complicados, mas já pede para fazer, tanto o xixi como o cocó no bacio. Durante a noite, ainda não dá pois continua a fazer muito xixi., tanto que às vezes molha a cama.

Tem muitas saídas engraçadas, tantas que não as consigo fixar todas...
Ontem queria limpar-me o "rabinho" (estão a ver!) e uma que é frequente fazer é chegar-se ao pé da minha barriga e dizer:
- Mamã fico aqui ao pé de ti... vamos ver a febre... Tens, 35, 6, 7! ADORO!


quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Coisas que ele diz... e que me fazem (babar)

Eu digo: A mamã é tonta! (depois de um disparate qualquer que fiz)

O pipoca diz: Não és nada tonta mamã...És LINDA!!!

e pronto... babei-me pela milionésima vez desde que sou mãe!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Delicioso...


Mamã é "delicioso" diz agora o meu filhote sempre que come algo de que gosta muito.

Delicioso foi também este começo de dia com o Sr. Pipoca a dizer "Mamã vamos embora, vamos para e escolinha!". Parece que finalmente entrámos nos eixos e eu não podia deixar de estar mais FELIZ e orgulhosa pelo meu homenzinho.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Hoje é o dia

Uma grande dia. O dia em que o meu filho não se fartou de chorar para ir para a escola, o dia em que entrou envergonhado e sorridente, pelo seu pé na sala de aula, que me pediu a mochila que trazia na mão e quis ser o próprio a entregar à educadora. O dia em que se despediu de mim com um beijinho e disse: "a mamã vai trabalhar" e foi para junto dos outros coleguinhas ouvir a historinha que a educadora ia contar.

Tenho consciência que foi só um dia, que mais dias difíceis virão, mas foi o dia, aquele em que o meu coração finalmente "desapertou" por um bocadinho e que bom que é andar de coração "desapertado".

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Ponto de situação...

As manhãs continuam a ser... um verdadeiro STRESS. Assim que visto o Pipoca, começa a choradeira, quer ir para todo o lado menos para a escola.... Não está mesmo a ser fácil, na escola dizem que tem estado melhor, que já não passa o dia a chamar por mim e a dizer que quer ir para casa, já trouxe alguns desenhos que fez para a mamã e já sabe o nome de alguns coleguinhas, conta alguns episódios do dia e já não chora tanto quando me vê chegar, sinceramente, acho que ele já não fica tão mal lá como ficava.... mas as manhãs, ai as manhãs... Continuam a dar-me cabo dos nervos e a partir-me o coração...

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Ainda sobre a escolinha (pois parece que o assunto vai dar pano para mangas)

Bem... aqui fica a reportagem do primeiro dia de escolinha do pipoca. Continuamos em fase de adaptação, as manhãs são uma desgraçada, quer ir para todo lado, menos para a escola. Ontem parece que houve progressos, durante o dia já não chorou "tanto" e não chamou "tanto" por mim... (menos mal, digamos que bom não é). 

Estou mortinha pelo fim-de-semana para descansar assim só um bocadinho desta tortura, sei que é uma fase, que se habitua e que acima de tudo é para o bem dele, mas custa-me muito deixá-lo assim, espero sinceramente, que as coisas comecem a correr melhor!




terça-feira, 6 de setembro de 2011

Ai...

Ontem quando cheguei à escola o meu filho veio a correr agarrar-se às minhas pernas, todo ranhosinho e de lágrimas nos olhos, acho que nuca o vi tão feliz por me ver... Disseram-me que não foi dos piores mas que passou o dia a perguntar por mim... 

Hoje de manhã, no caminho até que ia contente, o pior foi quando viu uma coleguinha a chorar e a dizer que não queria ficar... foi o descalabro, agarrou-se ao meu pescoço de tal forma que foi preciso a educadora tirá-lo, ficou de bracinho esticado para mim e a chorar... 

Bem... hoje tive que fazer um esforço enorme para não me desmanchar a chorar... Eu sei que passa, que é uma fase, mas enquanto passa e não passa, doí como o "caraças".

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Hoje foi...

O primeiro dia de escolinha do meu filhote... Fomos, eu e o pai. O ambiente estava meio confuso... crianças choravam, as funcionárias e educadoras andavam numa roda viva e pouco nos ligaram... (confesso que estava à espera de outro tipo de recepção)

Fiquei com a sensação de que deixei o meu filho (assim) "deixado"... a educadora pediu que saíssemos rápido para que ele se ambientasse... o que achei compreensível... mas... mesmo tendo consciência de que ele ficou bem porque desde que lhe falámos do assunto que pedia para ir para a escolinha e nem sequer chorou.... o meu coração ficou "lá", a morrer de preocupação, e tenho a certeza que só irá sossegar logo quando confirmar que está feliz e inteirinho.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Esta é também a minha perspectiva da maternidade...


Diga adeus à supermãe

01 | 09 | 2011   20.34H
Isabel Stilwell | editorial@destak.pt
Queremos ser tudo ao mesmo tempo, as melhores das mães e as mais competentes e criativas das profissionais, e a verdade é que conseguimos resultados excelentes neste malabarismo extraordinário. Se lhe somarmos ainda o desejo de sermos as melhores das filhas, amigas, cunhadas, amantíssimas esposas, e tudo o mais de que se pode lembrar, é fácil de entender porque é que a maioria de nós estamos à beira de um ataque de nervos.
Apesar de todas as revoluções culturais, a verdade é que crescemos a ouvir dizer que os filhos sofrem quando as mães têm uma “carreira”, e as mães acabam por viver inundadas de culpa perante essa possibilidade. No regresso às aulas, quando o ritmo de trabalho e de escola se intensifica de novo, é natural que já estejam a sentir o ácido no estômago, enquanto desenham horários impossíveis em folhas de Excell.
Foi a pensar nelas que Katrina Leupp, uma socióloga da Universidade de Washington, fez um estudo sobre as Supermães, citado pela revista Time. Inquiriu 1.600 mães, algumas trabalhavam e outras ficavam em casa, para concluir que “as mulheres empregadas têm níveis mais altos de saúde mental do que as que ficam em casa com os filhos, mas que aquelas que rejeitaram o mito da Supermãe têm menos sintomas de depressão do que aquelas que ainda perseguem esse desejo de serem tudo, em todo o lado”. Mas a socióloga releva um ponto: conta muito o facto de se gostar realmente daquilo que se faz profissionalmente.
O fundamental, argumenta, é que a mulher tenha a consciência de que todas as escolhas têm uma consequência, que deve ser avaliada antes da opção tomada, e aceite. “Se imagina que pode ter o pacote tudo, desiluda-se. Ter consciência de que pode ter quase tudo, é muito mais sensato”, diz Katrina Leupp. Consolação? Alguma, mas nunca completa porque, de facto, o que queremos é ter tudo, suportando mal a ideia de que uma escolha nossa possa ter uma qualquer repercussão negativa nos nossos filhos. Vai decididamente levar tempo a livrarmo-nos do fato de supermães, de supermulheres, mas temos de ir tentando...

Basicamente... as nossas férias foram assim...














quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Acabaram-se as férias

Ontem acabaram-se as nossas férias. Resumindo, foram boas, muito boas mesmo! muitos e muitos dias fantásticos de sol, areia e mar, de aconchego, gargalhadas, partilha de brincadeiras e carinho. Sou uma sortuda por poder usufruir de tantos dias inteiros com o meu filho, realmente só nas pausas da "velocidade" do meu dia-a-dia consigo perceber o quanto o meu filho está, aos meus olhos, espertalhão, carinhoso e crescido, é cada vez menos bebé e cada vez mais menino. Está enorme, veste roupa para 3/4 anos, são raras as pessoas que lhe dão só dois anos porque também fala pelos cotovelos expressando-se muito bem.

A nossa cumplicidade cresce e se disser que não gosto que ele só queira o meu colo, o meu aconchego, que na maioria da vezes, para tudo só me queira a mim, minto. ADORO que o meu filho me ADORE.

P.S. Amanhã coloco fotos!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

E...

... quem vai migrar, quem vai?... A mamã e o pipoca... Áhhhh.... pois é. Bebecas chega hoje (passou num instante), amanhã temos casório, pipoca vai ser o "menino das alianças" (nervos) e depois FÉRIAS!!!... Muitos dias, muitas horas com o meu filhote! Mal posso esperar!

BOAS FÉRIAS PARA TODOS!!!

ADORO


terça-feira, 2 de agosto de 2011

A minha "arma" secreta

Por ver este post da Patrícia e da sua linda Princesa Maria, lembrei-me que desde há três dias que a coisa também corre melhor lá por casa... já conseguimos (a gestão disto é feita com o pai, pois nisto e noutras coisas do género é preciso que estejamos em sintonia para não o baralhar) que faça o seu xixi no bacio sempre que acorda (porque raramente já faz enquanto dorme). Eu não digo que sem stress vamos lá... 
E sabem qual é o meu truque? Bater palmas. Este miúdo adora que lhe batam palmas! Tem pinta de artista! Bater palmas (e quantas mais pessoas melhor) a algo que faz é remédio santo para o convencer. Reforço positivo, portanto. Ou a minha "arma" secreta.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

E...

Pela primeira vez... vou passar 5 dias seguidos sem o meu filhote-mais-lindo. Nunca ficámos mais de 3 dias afastados.... Foi  de férias com o pai e com os avós paternos, despediu-se de mim, como o seu habitual "Xau Mamã", mandou beijinhos e acenou com a mãozinha.... nele não se reconhecia qualquer tristeza, ia Feliz... e se por um lado, vou estar estes dias com a sensação de que falta um pedaço de mim...porque falta. Também sei que tenho de estar grata por me entender com o pai dele e por estar a conseguir criar o nosso filho, não pelo que está escrito num papel e como manda a lei mas pela constante consciência das suas reais necessidades. Podiam ser 15 dias mas são só 5 porque vamos ver como ele se sente e gradualmente vamos introduzindo as devidas alterações na vida dele. Vou aproveitar para despachar muita coisinhas daquelas que adíamos porque com "eles" não temos tempo e sei que o tempo vai passar a voar.. I hope so!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

A despedida

Hoje é o último dia do meu filho na ama que o acompanha desde os 5 meses. Eu já chorei de manhã e sei que vou voltar a chorar quando o for buscar à tarde. Mais de que uma ama a Babá, como carinhosamente lhe chamam, foi sempre uma amiga e ficarei eternamente grata pela forma como cuidou sempre impecavelmente do meu filho.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Jantarada de avós!

Foi bom. Porque é sempre bom reunir a família, porque é sempre bom comemorar os sentimentos que nos unem mesmo que às vezes esses sentimentos se cruzem nas diferenças de opinião e personalidade de uns e outros.